Carregando...aguarde, por favor.

"Enquanto que a abstinência é o princípio, nossa única esperança
de recuperação é uma mudança de fundo emocional e espiritual."

Preloader
Mais 24 Hrs
  • Enter Title 1 Here

    http://2.bp.blogspot.com/_4HKUHirY_2U/SxIRTF4hqFI/AAAAAAAAAZ0/a0rDe2UC838/slideshow+1+big.jpg

    Enter Description 1 Here.

    Bionic
  • Enter Title 2 Here

    http://3.bp.blogspot.com/_4HKUHirY_2U/SxIRePsmefI/AAAAAAAAAaE/1bEo7Jhje7Y/slideshow+2+big.jpg

    Enter Description 2 Here.

    MOH
  • Enter Title 3 Here

    http://1.bp.blogspot.com/_4HKUHirY_2U/SxIRlhta4NI/AAAAAAAAAaU/91As7SkDIZE/slideshow+3+big.jpg

    Enter Description 3 Here.

    Fear
  • Enter Title 4 Here

    http://2.bp.blogspot.com/_4HKUHirY_2U/SxIRudm44wI/AAAAAAAAAak/xPjT8DtBq9s/slideshow+4+big.jpg

    Enter Description 4 Here.

    Farcry
  • Enter Title 5 Here

    http://1.bp.blogspot.com/_4HKUHirY_2U/SxIR4NEkreI/AAAAAAAAAa0/B0ab0ypP_z4/slideshow+5+big.jpg

    Enter Description 5 Here.

    Farcry 2
  • Enter Title 6 Here

    http://1.bp.blogspot.com/_4HKUHirY_2U/SxISBN5s6XI/AAAAAAAAAbE/jYBV3sn5y8o/slideshow+6+big.jpg

    Enter Description 6 Here.

    Crysis
  • Enter Title 7 Here

    http://1.bp.blogspot.com/_4HKUHirY_2U/SxISHlkmzLI/AAAAAAAAAbU/gbpIfiAelH0/slideshow+7+big.jpeg

    Enter Description 7 Here.

    Tomb Raider
  • Enter Title 8 Here

    http://3.bp.blogspot.com/_4HKUHirY_2U/SxISPRJ9FyI/AAAAAAAAAbk/col8cO-Gtc8/slideshow+8+big.jpg

    Enter Description 8 Here.

    Game
  • Enter Title 9 Here

    http://1.bp.blogspot.com/_4HKUHirY_2U/SxISVrBaCgI/AAAAAAAAAb0/7TyVFfKbqyc/slideshow+9+big.jpg

    Enter Description 9 Here.

    Medal of honor

Estudo americano aponta círculo vicioso em quem fuma maconha

Estudo americano aponta círculo vicioso em quem fuma maconha
Segundo o estudo, os jovens que usam maconha frequentemente experimentam um aumento de sensação negativa nas 24 horas anteriores ao uso. Nesse sentido,
fumar maconha como uma técnica de enfrentamento de situações problemáticas pode tornar mais complexo e real o cenário de um círculo vicioso.

Para o estudo, foram recrutadas 40 pessoas, com idades entre 15 e 24 anos, que usaram maconha pelo menos duas vezes por semana, embora sua média tenha sido de 9,7 vezes por semana. Elas foram treinadas para usar um computador de mão que lhes assinalava em um horário aleatório dentro de intervalos de três horas (quatro a seis vezes por dia) durante duas semanas. A cada sinal, os participantes foram questionados sobre humor, se estavam acompanhados, disponibilidade de maconha e uso recente da droga. Os participantes também foram solicitados a relatar imediatamente sobre qualquer uso de maconha. Eles completaram mais de 3.600 relatórios.

Resultado

Os pesquisadores descobriram que o afeto negativo aumentou significativamente durante as 24 horas anteriores ao uso da maconha em comparação a outros períodos. No entanto, a sensação de afeto positivo não variou no período antecedente ao uso da maconha em comparação a outras épocas.

O estudo conseguiu coletar os dados em tempo real para avaliar o humor em comparação ao uso de maconha. Por fim, indica-se aos médicos e conselheiros que ajudem seus pacientes a identificar padrões de sentimentos negativos e implementar estratégias de regulação de humor para substituir o uso da maconha.

Fonte - Medical News Today (adaptado)

Maconha diminui chances de jovem terminar os estudos

Maconha diminui chances de jovem terminar os estudos
Adolescentes que fumam maconha com frequência têm menos chances de concluir os estudos na escola e de conseguir um diploma no ensino superior do que jovens que não são usuários da droga.É o que descobriram pesquisadores após analisarem os resultados de pesquisas feitas anteriormente sobre o assunto.


O trabalho ainda indicou que o uso da maconha aumenta em até oito vezes as chances de os adolescentes consumirem outras drogas ilícitas nos anos seguintes.A nova pesquisa, feita por especialistas da Austrália e Nova Zelândia, se baseou nos dados de 3765 pessoas que fumavam maconha e que fizeram parte de três estudos científicos sobre os impactos da droga na adolescência.Segundo a análise, publicada nesta terça-feira no The Lancet Psychiatry, fumar maconha todos os dias antes dos 17 anos diminui em até 60% as chances de o adolescente concluir os estudos em comparação com nunca ter usado a droga.

O estudo fornece uma evidência consistente de que prevenir ou postergar o uso de maconha pode promover amplos benefícios sociais e de saúde, diz o coordenador da pesquisa, professor do Centro Nacional de Pesquisa em Álcool e Drogas da Universidade de New South Wales, na Austrália. Iniciativas para reformular leis sobre o uso de maconha devem ser avaliadas cuidadosamente para garantir que o uso da droga entre adolescentes diminua.

Fonte - odebate.com.br (adaptado)

Brasil é o 2º consumidor mundial de cocaína e derivados, diz estudo

Brasil é o 2º consumidor mundial de cocaína e derivados, diz estudo

Mais de 6 milhões de brasileiros já usaram cocaína, crack, óxi ou merla. Unifesp divulgou segunda parte de levantamento detalhado sobre drogas. O Brasil é o segundo maior consumidor de cocaína e derivados, atrás apenas dos Estados Unidos, de acordo com o segundo Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad), feito pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e divulgado nesta quarta-feira (5). O estudo mostra que o país responde hoje por 20% do mercado mundial da droga.


Ao todo, mais de 6 milhões de brasileiros já experimentaram cocaína ou derivados ao longo da vida. Entre esse grupo, 2 milhões fumaram crack, óxi ou merla alguma vez e 1 milhão foram usuários de alguma dessas três drogas no último ano.
Leia também

Cocaína
Ação das drogas no SNC
Crack, Óxi, e Merla
Formas de Tratamento


Só nos últimos 12 meses – ou seja, de janeiro a março de 2011 até o mesmo período de 2012, quando as pessoas foram entrevistadas –, 2,6 milhões de adultos e 244 mil adolescentes brasileiros consumiram cocaína sob alguma forma.

Destes usuários constantes, 78% aspiraram o pó, 5% fumaram derivados e 17% usaram as duas formas. Além disso, 27% fizeram uso diário ou superior a duas vezes por semana, e 14% admitiram já ter injetado a droga na veia em alguma ocasião.

Segundo os autores da pesquisa, coordenada pelo psiquiatra Ronaldo Laranjeira, essa é a primeira amostra representativa da população brasileira sobre o uso e a dependência de cocaína. Como equivale à nossa população, a cidade de São Paulo, por exemplo, teve mais participantes. Por essa razão, os resultados dão uma noção mais precisa de onde o país se encontra hoje entre os consumidores de drogas.
Fonte - G1

Consumo diário de maconha coloca em risco saúde e bem-estar


Consumo diário de maconha coloca em risco saúde e bem-estar

Os adolescentes que usam maconha diariamente correm um risco maior de se tornarem dependentes de drogas, cometer suicídio ou experimentar outras drogas e são menos propensos a ter sucesso em seus estudos do que aqueles que a evitam, anunciaram pesquisadores australianos nesta quarta-feira (10).

Em uma análise de estudos sobre a cannabis, os cientistas afirmaram que esses efeitos de longo prazo sobre a saúde e a vida são importantes, uma vez que vários países estão planejando afrouxar a legislação sobre o uso da planta.


A cannabis é a droga ilícita mais consumida em todo o mundo, apesar de haver uma tendência para sua descriminalização em alguns países.

"Nossas descobertas são particularmente oportunas, dado que vários estados dos EUA e países da América Latina têm feito movimentos para descriminalizar ou legalizar a cannabis, levantando a possibilidade de a droga se tornar mais acessível para os jovens", disse Richard Mattick, professor do Centro Nacional de Pesquisa sobre Drogas e Álcool da Universidade de New South Wales, na Austrália, que co-liderou o estudo.

Usando dados de três estudos amplos e de longa duração, os pesquisadores descobriram que as pessoas que começam a fumar maconha diariamente antes dos 17 anos têm uma probabilidade 60% menor de concluir o ensino médio ou obter um diploma universitário.

A análise cruzada também indicou que os os que usam diariamente maconha durante a adolescência são 7 vezes mais propensos a tentar o suicídio, tem 18 vezes mais risco de dependência da substância, e são 8 vezes mais propensos a usar outras drogas ilícitas na vida adulta.

"Os formuladores de políticas precisam estar cientes de que o uso precoce de cannabis está associado a uma série de resultados negativos para os jovens adultos que afetam sua saúde, bem-estar, e também suas realizações", disse Edmund Silins, também do Centro Nacional de Pesquisa sobre Drogas e Álcool, que apresentou os resultados em uma coletiva de imprensa 


Ligações Claras e consistentes

Dados recentes mostram que os jovens em alguns países estão começando a usar maconha mais cedo do que antes e que mais adolescentes estão fazendo uso pesado de maconha.

Nos Estados Unidos, cerca de 7% dos estudantes no último ano do ensino médio usam diariamente ou quase diariamente maconha, enquanto na Inglaterra, 4% dos jovens de 11 a 15 anos informou ter usado maconha no mês passado.

Na Austrália, cerca de 1% dos jovens de 14 a 19 anos de idade são usuários diários da droga, enquanto 4% fuma semanalmente.

Silins disse que quaisquer mudanças na legislação sobre a cannabis devem ser avaliadas cuidadosamente para garantir que elas vão ajudar a reduzir o consumo de maconha na adolescência e prevenir seus efeitos potencialmente adversos.
O estudo, publicado na revista "Lancet Psychiatry", analisou dados de até 3.765 participantes consumidores de maconha com relação a sete efeitos no desenvolvimento até a idade de 30 anos.

Esses fatores incluíram a conclusão do ensino médio, a obtenção de um diploma universitário, dependência da cannabis, o uso de outras drogas ilícitas, tentativas de suicídio, depressão e o bem-estar.

Constataram-se associações claras e consistentes entre frequência do consumo de cannabis durante a adolescência e os resultados na maioria dos jovens adultos investigados, mesmo após o controle de potenciais fatores de interferência como idade, sexo, etnia, nível socioeconômico, uso de outras drogas e doenças mentais.

Fonte - Reuters - G1

Risco de dependência por cigarro é maior que por cocaína, diz estudo

Risco de dependência por cigarro é maior que por cocaína, diz estudo
Relatório preparado pela organização de controle do tabagismo Campanha Crianças Livres do Tabaco (CTFK) lançado nesta terça-feira, 02, no Brasil, mostra que cigarros estão com mais poder de dependência e perigosos. Feito a partir da análise de pesquisas científicas e de documentos fornecidos pela indústria do tabaco, o trabalho afirma ser mais fácil tornar-se dependente de cigarro do que de cocaína e de heroína. A mudança, afirma o documento, é resultado de estratégia adotada pelas companhias.

Ao longo dos últimos 50 anos, assegura o relatório, os produtos passaram a apresentar um teor maior de nicotina, tiveram a inclusão em sua fórmula de amônia e açúcares, que aumentam seu efeito e tornam a fumaça mais fácil de ser inalada.O próprio formato do cigarro mudou: produtos passaram a trazer filtros com pequenos orifícios, muitas vezes imperceptíveis, que levam o fumante a aumentar o volume e a velocidade de aspiração.

Alta engenharia, avalia o relatório, para aumentar a atratividade, facilitar o consumo e a dependência.Nicotina e heroína apresentam mecanismos semelhantes para o desenvolvimento da dependência, afirmou à reportagem um dos autores do relatório.Ele observou, no entanto, que o número de experimentadores de cigarro que se tornam dependentes é maior do que os que entram em contato com a heroína pela primeira vez.Documentos reunidos no relatório mostram que os teores de nicotina dos cigarros aumentaram 14,5% entre 1999 e 2011.Substância encontrada naturalmente na planta do tabaco, a nicotina, quando chega aos pulmões, é absorvida pela corrente sanguínea e em segundos é transportada para o cérebro.

Os sintomas de abstinência surgem logo nas primeiras horas depois de parar de fumar.Pesquisadores afirmam no trabalho que a amônia acrescentada ao tabaco aumenta a velocidade com que a nicotina chega ao cérebro e a sua absorção, o que torna a sensação de prazer mais rápida e mais intensa. A amônia também torna a fumaça do cigarro mais suave, o que facilita a sua inalação pelos pulmões. Além da maior capacidade de desenvolver dependência, as mudanças ampliaram o risco de câncer de pulmão.As misturas do tabaco e os aditivos tornaram a fumaça do cigarro mais fácil de ser inalada, aumentando os níveis de nicotina no sangue e no cérebro.

Outros agentes potencializaram o impacto da nicotina, como o acetaldeído produzido com a queima do açúcar adicionado ao cigarro. Tudo isso aumenta o risco de dependência.O pesquisador, que é da Universidade da Califórnia, ressaltou que, principalmente nos Estados Unidos, cigarros passaram a ter uma concentração maior de nitrosaminas específicas do tabaco, uma substância carcinogênica. Essa última mudança, associada com a adoção de filtros ventilados - que levam a inalações mais profundas - torna o fumante mais vulnerável e exposto a substâncias, aumentando o risco de câncer provocado pelo consumo do cigarro.

De acordo com o trabalho, apesar de fumarem menos, tanto homens quanto mulheres têm um risco muito maior de desenvolver câncer de pulmão e doença pulmonar obstrutiva crônica do que em 1964, quando foi divulgado o primeiro relatório produzido pelo governo americano sobre o impacto do tabagismo na saúde.O pesquisador americano ainda criticou a suspensão no Brasil da resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que proibia a adição de produtos que conferissem sabor para os cigarros.

Fonte - EXAME

Bebidas energéticas podem fazer mal ao coração, aponta estudo

Bebidas energéticas podem fazer mal ao coração, aponta estudo
Os energéticos, bastante consumidos por jovens em festas, podem levar a problemas no coração, diz estudo apresentado neste domingo durante o Congresso da Sociedade Europeia de Cardiologia, que acontece em Barcelona até quarta-feira. Segundo o autor da pesquisa, da Faculdade de Medicina de Nice, na França, o consumo em excesso dessas bebidas pode levar a condições adversas incluindo angina, arritmia cardíaca e até mesmo morte súbita.

Cerca de 96% dessas bebidas possuem cafeína, com uma lata típica de 250 mililitros contendo o equivalente a dois cafés expressos. A cafeína é um dos mais potentes estimulantes dos receptores de rianodina e leva a uma grande liberação de cálcio dentro das células cardíacas. Isso pode causar arritmias, mas também tem efeitos sobre a capacidade do coração de se contrair e usar oxigênio.O estudo analisou diversos casos associados ao consumo de energéticos entre janeiro de 2009 e novembro de 2012 e contou com a participação de 15 especialistas, incluindo cardiologistas, psiquiatras, neurologistas e fisiologistas.

Durante o período, foram reportados 257 casos, sendo que 212 forneceram informações suficientes para análise.Os especialistas informaram que, dos casos reportados, 95 apresentaram sintomas cardiovasculares, 74, psiquiátricos; e 57, neurológicos, com sobreposição em alguns. Paradas cardíacas ou mortes inexplicadas aconteceram em ao menos 8 dos casos, enquanto 46 pessoas apresentaram arritmia, 13 tinham angina e 3, hipertensão.Nós encontramos que a síndrome da cafeína era o problema mais comum, acontecendo em 60 pessoas. Ela é caracterizada por taquicardia, tremores, ansiedade e dor de cabeça.

Eventos raros, mas severos, também foram associados a essas bebidas, como morte súbita, arritmia e parada cardíaca.O estudo recomenda que pessoas que já apresentam algum problema no coração devem evitar o consumo de energéticos, pois a cafeína pode exacerbar a condição com consequências fatais. Ademais, registrou-se alerta sobre o risco de consumo dessas bebidas durante exercícios físicos ou misturadas com álcool

Fonte - O globo